terça-feira, 21 de abril de 2009

Onde foram parar as forças?


Hoje terça feira, dia de tira dentes, feriado.

No domingo 19/04/2009 perdi, não consigo ver como uma transformação, pra uma possibilidade de amizade, vejo como perda, o fim de um ciclo de 4 anos e 4 meses cheio de altos e baixos, caminhos com pedras mas também o percurso era cercado por muitas flores... e ficarão todas elas perdidas, na verdade nem sei se lembrarei o cheiro que elas tinham, num presente que logo se tornará passado, sem qualquer possibilidade de reencontro ou retomada.

O sentimento de vazio, de perna amputada, de peito sem coração numa semana fria como a que estamos é quase que mortal, a certeza do fim já me preparava dês da sexta feira, para um domingo inevitável, não me sinto desinteressante, não dessa vez, acho que as dificuldades que eu tinha se romperam se partiram e nunca mais abrirei as portas pelas quais elas entraram.

Não sei exatamente até onde é a falta de estar num relacionamento ou a mais completa falta de você, do acordar do lado e enrolar o cabelo, cachos entre meus dedos e ver os olhos abrindo devagarzinho colado com o nariz mais lindo do mundo e um bocão tão grande que quase não encaixavam os lábios, apenas quando os meus entravam em junção ai o encaixe se tornava perfeito, cosquinha nas coxas, o corpo contorcendo com minha barba furando, dançar juntinho, cortar as tranças, cortar camisas, abraçar e querer ter junto..., ser junto....., pra sempre.
Meu deus..., Onde exatamente, em que momento exatamente a porta foi aberta e tudo foi perdido, congelado por uma vasta geleira que encobriu tudo, onde estão as noites de amor, onde foi parar o respeito o medo de perder, onde foi parar o que éramos..., está tudo submerso na geleira, o pior é que se tivesse uma maquina do tempo não saberia o exato momento pra poder voltar e concertar, a tarça do meu amor se quebrou e o material em que ele foi forjado não é encontrado para futuros reparos, 4 viradas de ano, 4 anos de convivência, quatro anos de desespero, de felicidade, de tudo perdido, e nos encontramos os dois sem qualquer força pra lutar pra concertar, estamos ali no meio das lembranças todas deitados sofrendo, vazios, completamente esgotados para o menor movimento para a menor tentativa e onde foram parar essas forças..., acho que foram sugadas por tudo que queríamos que fossemos e não fomos, um sugando a força do outro a cada expectativa perdida, a cada confiança quebrada, a cada palavra rude mandada como flecha acertando em cheio o desejo de ser melhor, de estar melhor, esta tudo realmente perdido, encoberto, submerso, num mar de gelo..., Adeus cachos nos dedos, adeus barba no pescoço, adeus danças de amor, adeus amor perdido e o rosto permanece seco nem uma lagrima se faz capaz de descer, como havia dito, completamente esgotado até para elas.

5 comentários:

MorDax disse...

nada é eterno, mas a importancia das coisas está realmente no quanto elas valeram. nada foi em vão. tenho certeza de que vc sa be disso.

sorte e sucesso pra vc amigão.
beijo.

Ted Sampaio disse...

Um texto de despedidas com vontade de estar junto. rs

Espero que aconteça o melhor pra vcs dois, juntos ou não.
Abraços Mau.

Nina disse...

O poeta disse que um grande amor só é bem grande se for triste, entretanto se as flores teimam em não mais nascer na beira da estrada anda mais um pedacinho que lá na frente, de certo, achará uma beira de caminho mais fértil para cultivar.
AmoO você meu bem!!
Se cuida amigo!!

Danilo Silva disse...

"Carta linda..." é necessario eu ir - vai ser melhor pra nós dois - mas quero ficar...
Historia emocinante, o que foi contruido com labuta e muito amor, não perde. Vc ganhou VIDA... vc ganhou forças, ainda não as encontrou ... Não sei o q falar... sinceramente!

Mas tudo q se vive... é vida!


tui escreve com alma, fervor, lagrimas nos olhos, ainda que elas resistam em cair!

Beijaum!

Dana Rebouças disse...

lindo texto...
já me senti assim, Mau... isso passa... se n era p ser, deixa o tempo rolar...